Exposição

nós chegamos antes da luz do sol - exposição fototrem

A mostra “Nós chegamos antes da luz do sol” – com abertura as 10hs da manhã do dia 13 de setembro (quinta-feira) – apresenta na Estação Ferroviária da Calçada os resultados do projeto Fototrem, idealizado por Rosa Bunchaft.

A mostra, composta por capturas fotográficas realizadas pela artista sem utilização de qualquer aparelho industrial – usando apenas um vagão como câmera e laboratório – traz também uma instalação com fotografias realizadas pelo fotógrafo e engenheiro inglês Benjamin Mulock, quando, entre 1859 e 1861, veio à Bahia contratado para produzir registros das obras de construção da ferrovia, na época chamada Estrada de Ferro da Bahia ao São Francisco. A mostra se completa com as experimentações resultantes das oficinas de processos alternativos ministradas pelo LabClube e de fotografia na lata ministradas pela artista. As oficinas ocorreram em 2017 e foram voltadas principalmente para pessoas engajadas em projetos artísticos e sociais e residentes no entorno da estação, bem como foto-educadores, multiplicadores de centros culturais do subúrbio ferroviário e trabalhadores da estação.

A possibilidade de trazer registros históricos realizados por Mulock da construção da ferrovia, se deu graças à colaboração dos pesquisadores e curadores Sabrina Gledhill e John Vignoles, este último herdeiro dos construtores da ferrovia e legatário do acervo que se encontra em Londres (Inglaterra), mediante comodato com o ICE – Institution of Civil Engineers. Durante sua estadia na Bahia, Mulock manteve uma vigorosa e afetuosa correspondência com sua irmã (Dinah Mulock), compondo um importante relato da construção da ferrovia e de suas impressões da Bahia. Graças ao colecionador baiano Ubaldo Senna Filho e ao fotógrafo André Motta de Lima, a artista Rosa Bunchaft teve acesso a alguns fragmentos dessas cartas, um resultado que não estava previsto no escopo inicial do projeto. “Nós chegamos antes da luz do sol” é a frase de Mulock que marca a primeira visão que teve da Bahia, seguida da afirmação de que jamais teria gostado tanto de um lugar assim, à primeira vista.

Para Bunchaft, idealizadora do projeto, “A contraposição dos registros de Mulock com os meus processos criativos e os resultados das oficinas, todos com foco na estrada de ferro e seu entorno, articulam passado e presente numa rede de criação, formação, difusão e circulação de imagens fotográficas onde a ferrovia é eixo de narrativas sobre o próprio lugar”.

O projeto FotoTrem começou em abril de 2017 em um vagão cedido pela ferrovia, um vagão que funciona como câmera/laboratório, de modo semelhante às antigas e desaparecidas câmeras lambe-lambe, porém em uma dimensão muito ampliada. Nesse vagão ‘lambe-lambe’ a artista utiliza uma técnica de captura fotográfica desenvolvida por ela para registrar a ferrovia num momento muito singular, pois provavelmente, com a implantação do monotrilho, não veremos mais a ferrovia e seu entorno da forma como os conhecemos atualmente. Um momento, portanto, de contradições e afetos que dialoga ricamente com as fotos de Mulock e com os resultados das oficinas ocorridas em 2017.

Durante o período da exposição, que vai do dia 13/09 a 08/10 estão previstas visitas guiadas ao vagão lambe-lambe, no horário das 9hs às 16 hs para que as pessoas interessadas possam conhecer e partilhar da magia dos princípios da formação da imagem fotográfica.

O projeto tem apoio do ICE – Institute of Civil Engineers em Londres, bem como do colecionador baiano Ubaldo Senna Filho e do fotógrafo André Motta de Lima. Conta com a parceria com o LAb Club (RJ), Cipó Comunicação Interativa, Entre Minas, Acervo da Laje, Centro Cultural Plataforma, Espaço Cultural Alagados, Colegio Estadual Almirante Barroso, A Corda Samba de Roda.

Serviço:

O que: “Nós chegamos antes da luz do sol” – Mostra final do projeto Fototrem
Quando: 13 de setembro a 08 de outubro (todos os dias da semana, das 6h às 20h)
Onde: Gare da Estação Ferroviária da Calçada, Salvador
Quanto: Gratuito